Vandalismo na Igreja Universal Do Reino de Deus Em STP Acaba Por Levar a Morte Um Jovem de 13 Anos Por Uma Bala Perdida dos Agentes da Polícia Nacional

0
Tempo de Leituta: 3 minutos

No dia 16 de Outubro do ano em curso, a porta-voz do Parlamento apelou a calma e não ao vandalismo na igreja universal do reino de Deus em STP que coincidiu com o fim do prazo estipulado pela Assembleia para a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) apresentar o pastor São-Tomense ao país.

Partindo disso a porta-voz do parlamento, Alda Ramos, acusou a IURD de irresponsabilidade no alegado incidente, uma vez que o pastor foi detido e julgado sem direito a defesa que viola a luz do Direito Internacional as regras mais elementares dos Direitos Humanos.

Na tarde de quarta feira, os cidadãos movidos pelo espírito cívico da sociedade civil activa e espontânea ocuparam as ruas do país e atacaram a Igreja fazendo a justiça com as próprias mãos por causa da detenção do pastor São-Tomense preso na Costa do Marfim.

Portanto a morte do adolescente contribuiu para intensificar a fúria dos cidadãos o que provocou a retirada dos policiais no local.

E com a retirada dos policiais no local os cidadãos puseram fogo nas viaturas pertencentes a Igreja Universal do Reino de Deus. Contudo o paradeiro do Bispo é desconhecido, porque a segurança do mesmo pode estar em causa face ao vandalismo e violência crescente em São Tomé.

Com isso, o Bispo da Diocese de São Tomé e Príncipe reagiu através das redes sociais ao vandalismo e violência que tomaram conta da cidade de São Tomé e acrescentou que o Governo deveria estar atento a estes grupos religiosos, mas não pode nunca justificar a  violência num país democrático.

Comunicado da Polícia Nacional acerca do vandalismo na Igreja Universal do Reino de Deus em STP

Nos últimos dias constatou uma onda de indignação, de revolta e de manifestação por parte de cidadãos São-Tomenses ao facto de um cidadão encontrar-se detido na Costa de Marfim. Nesta senda, na tarde de quarta-feira começou uma onda de revolta expressa por parte da população, cumprindo as promessas que vinham a fazer nas redes sociais.

 

Vandalismo na Igreja Universal Do Reino de Deus Em STP Acaba Por Levar a Morte Um Jovem de 13 Anos Por Uma Bala Perdida dos Agentes da Polícia Nacional
Comando Distrital da polícia Nacional

Perto das 15h00, a onda de manifestação chegou a sede da igreja, onde a Polícia Nacional já encontravam no local, mas a prior a revolta não era contra a polícia, mas não pode permitir que sejam depredados bens públicos ou privados quando está em causa a ordem e a tranquilidade pública.

Do mesmo modo, juntando ao facto de não ter havido uma informação legal por parte dos organizadores da revolta, de acordo com o artigo 34º. da Constituição da República Democrática de São Tomé e Príncipe logo a manifestação consubstanciava como ilegal nos termos da lei.

Entretanto, após a polícia aguentar diversos objectos arremessados pelos cidadãos, partindo disso houve a necessidade de usar meios coercivos como forma de contenção e intimidação com objectivo de cessar a ameaça eminente de vandalismo contra a sede da IURD e contra a integridade física dos policiais.

Com isso, a Polícia Nacional procedeu ao arremesso de gás lacrimogéneo, granadas de efeito moral de luz e som, e gases pimenta, e também ao disparo efectivo para o ar para intimidar a população e depois constatou que um menor de 13 anos foi atingido no rosto e socorrido pela polícia, levado ao hospital mas infelizmente veio a falecer.

Após o ocorrido a polícia decidiu abandonar o local de forma a salvaguardar a integridade dos agentes da polícia e em seguida a sede foi tomada em assalto pela população, tendo praticado saques, depredação de todo edifício, e atearam fogo nas viaturas estacionadas.

Partindo disso, a polícia militar entrou no local de forma a auxiliar a actuação policial na contenção e na reposição da ordem pública.

Contudo, nas primeiras horas do dia a Polícia Nacional accionou todos os mecanismos de equipas do Grupo de Intervenção e Segurança, com elementos de todos os Comandos Distritais e das Unidades Especiais, incluindo a esquadra policial de Aeroporto onde registou 13 elementos policiais feridos.

Em suma, a polícia apela à calma por parte dos populares, reafirmando a sua posição contra todo tipo de violência ou incitação à violência e lamenta profundamente a perda de uma vida humana.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More