Republica Popular da China doa 50 Motorizadas e 2 Viaturas ao Ministério da Saúde para o Combate Ao Paludismo

Republica Popular da China
Tempo de Leituta: 2 minutos

Republica Popular da China é o maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo, com mais de 1,38 bilhões de habitantes, quase um quinto da população da Terra.

A China e São Tome e Príncipe desde sempre têm assinados acordos de cooperação,  como forma de ajuda ao país nas áreas mais necessitadas.

Na primeira visita oficial da Sua Excelência senhor Patrice Trovoada a Pequim por parte de um alto dirigente do país africano nas últimas três décadas, foi assinado um acordo de ajuda financeira que permitirá a São Tomé investir no seu desenvolvimento sem ter de recorrer a fontes externas de financiamento.

Bem como, no domínio da saúde, além do envolvimento no combate à malária, os médicos chineses ajudaram a colmatar algumas lacunas existentes em certas especialidades como a falta de equipamentos médicos, medicamentos entre outros, com o reforço de equipamentos para diagnosticar e tratar certas doenças.

Desta forma, no dia 13 de Setembro de 2019, o Embaixador da Republica popular da China Sua Excelência senhor Wang Wei procedeu a entrega de 50 motorizadas e duas viaturas ao Ministério da Saúde, de forma a poder ajudar o país no combate ao paludismo.

Esta doação surgiu no âmbito de assistência técnica do Governo de Pequim ao Estado São-Tomense em cooperação para o sector da saúde visando assim a eliminação desta doença “paludismo” numa perspectiva do desenvolvimento sustentável.

Por outro lado, o Embaixador da China espera que os técnicos São-Tomenses possam tirar o melhor proveito desses materiais que foram posto em acção para a luta contra o paludismo em nosso país.

Do mesmo modo, acrescentou que com o apoio da China, com esforço do Governo e com colaboração de todos os São-tomenses, o paludismo será eliminado no país.

Porém este acto, resulta de uma dimensão muito grande para São Tomé e Príncipe e além do valor material dos equipamentos, é um sinal importantíssimo da determinação do país doador no apoio a luta contra o paludismo.

Em suma, para sua definitiva eliminação dentro de um prazo mais curto possível, todos deverão fazer a sua parte de forma a ter um país mais saudável livre do paludismo.