Porque Razão a Petrolífera Angolana Sonangol Reduziu o Fornecimento de Combustível para São Tomé e Príncipe

0
Tempo de Leituta: 2 minutos

A Petrolífera Angolana Sonangol tem sido a única fornecedora de combustível para São Tomé e Príncipe desde a independência do país em 1975. Com isso o país acumulou dividas para com a referida empresa no tocante ao fornecimento de combustível.

Portanto actualmente o Governo de “Bom Jesus” enfrenta inúmeras dificuldades face a essa problemática dos combustíveis que assola as ilhas verdes,  sendo que um desses problemas são cortes de energia frequentemente, e o mais recente a subida dos preços dos combustíveis em todo o país.

A petrolífera Angolana Sonangol reduziu o fornecimento de combustível para um terço daquilo que normalmente forneciam a São Tomé e Príncipe.
Pelo que a dívida com a fornecedora cresce exponencialmente e a capacidade de pagamento diminui cada vez mais.

Logo a Petrolífera Angolana teve que tomar medidas drásticas como essa, para que ouve-se algum retorno por parte de São Tomé e Príncipe.

Numa conferência de imprensa, o Ministro das Finanças (Osvaldo Vaz) afirma que “a dívida para com a Petrolífera Angolana cresce sem parar, e São Tomé e Príncipe encontra-se com uma capacidade de pagamento muito baixa”.

A divida já ronda os 150 milhões de dólares, mas Osvaldo Vaz acredita que a visita do Primeiro Ministro a Angola suscitará algum efeito a ponto de fazer com que a Petrolífera Angolana “Sonangol” ascenda o fornecimento de combustível para valores acima de 1/3.

Porquanto o governo Santomense assumiu depositar todos os meses 500 mil dólares na conta da Petrolífera Angolana Sonangol para evitar que a divida continue a ascender.

Já foram pagos os meses de Julho e Agosto e está programado para efectuar o pagamento do mês de Setembro, algo que anteriormente não fora feito pelo governo Santomense desde a independência. Todo esse esforço tem a finalidade de harmonizar as finanças do estado santomense.

Contudo, ficou decidido que a estado Santomense pagará mensalmente 500 mil dólares a Empresa de Água e Electricidade, que por sua vez encaminhará esse valor a ENCO.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More