O Desemprego Juvenil em São Tomé e Príncipe Mata Mais Jovens do Que a Guerra Civil

Desemprego juvenil
Tempo de Leituta: 2 minutos

O desemprego juvenil em São Tomé e Príncipe mata mais jovens do que a guerra civil ao longo dos anos na África, numa altura em que os jovens vêm nas drogas, na prostituição e na prática de roubo compulsivo como a saída para o sufoco e o aperto da falta do emprego, ladeado a rejeição social provocado pelos Governantes políticos.

Desemprego juvenil em África com especialidade em São Tome e Príncipe tem vindo a matar sonhos dos jovens e causando ameaças públicas e sociais, colocando em risco muitas famílias São-Tomenses numa altura que os jovens representam cerca de 75% da população nacional e na África.

Os políticos gananciosos que registamos na África e em São Tomé e Principie devem parar de se preocuparem apenas com os elementos e elencos dos seus partidos e de se afligirem mais na sociedade ou no Terceiro Estado.

Desemprego juvenil não é apenas um problema económico, mas também é um problema social numa altura que o comunismo político já é a parte do elevado fluxo do desemprego juvenil em São Tomé e Príncipe por razões alheia a vontade política e dos Governantes.

Por conseguinte, os comerciantes, produtores de bens e serviços são obrigatórios a efectuarem cortes nos funcionários devido a má Interferência do Estado na economia, nos impostos, aumentos das tarifas alfandegárias de forma irregular, que muita das vezes sem controle promove o desemprego juvenil. Senda assim devemos adaptar uma formas de acabar com isso, que  é reduzir a interferência do Governo na economia , aduar uma verdadeira economia do mercado, restringir a burocracia, garantir a liberdade para o empreendedores empreender, facilitar a vida dos empresários no país porque são eles que geram a riqueza para o aumento do produto interno bruto “PIB”.

Segundo a Organização Internacional de Trabalho, “OIT” cerca de 30% dos jovens com cérebro capaz de dar resposta para o desenvolvimento da África encontra em fuga para Europa, América e no resto do mundo, devido a ausência da meritocracia , oportunidade e a elevada taxa do desemprego juvenil que  ano 2019 atingiu o seu ponto mas alto rodado a cerca de 420 milhões dos jovens.

Por outro lado a imigração na África consta na lista de vários factores impulsionadores na morte de sonho dos jovens, fraseado pela teoria dos lideres políticos incompetentes e gananciosos que precisam parar com a demagogia e o fanatismo politico e social de se preocupar apenas com os membros dos seus partidos independentemente, das suas competências e habilidades técnicas.

É urgente de que os Governantes e os lideres políticos devem mudar de estratégia e solucionar as prioridades das necessidades com objectivo de dar as resposta concreta a este problema social e devastador na sociedade São-Tomense e na África, antes tarde do que nunca.