Gravidez precoce em São Tomé é um problema social que afeta grande número de jovens adolescentes

Gravidez precoce, um problema que afeta adolescentes em São Tomé e Príncipe maioritariamente por falta de informação e uso de metodos de prevenção.

Gravidez precoce em São Tomé é um problema social que afeta grande número de jovens adolescente
Tempo de Leituta: 2 minutos

A gravidez precoce em São Tomé acontece muitas vezes por falta de informação, por falta de comunicação e também por ignorar a importância de usar métodos contraceptivos. Ela ocorre em meninas, com idade inferior a 18 anos, visto que nesta faixa etária, o corpo da mulher ainda não está bem desenvolvido para realização de uma gestação.

Contudo durante a gravidez na adolescência, as jovens podem correr riscos de vida, os bebes podem nascer prematuros e pode haver casos de aborto espontâneo. Trás algumas consequências para a saúde da criança e envolve problemas emocionais, sociais, psicológico, entre outros. Quando isso acontece em uma adolescente, muitas vezes os pais e os familiares não apoiam, sabendo que é um dos momentos mais precisos na vida de qualquer adolescente que acaba de ter o seu bebê.

Gravidez precoce em São Tomé é um problema social. E é também prejudicial no crescimento económico Sustentável do país, de modo que poderá surgir abandono escolar que contribuirá para a baixa escolaridade, consequentemente dificuldade em conseguir emprego por falta de qualificação, gerar uma família com diversos problemas financeiros, abandono de criança por falta de meios financeiros e dessa forma a mesma criança ter grande chance de ser uma criança órfã.

Um estudo produzido pela UNICEF em colaboração com o governo de São Tomé e Príncipe, o fórum das mulheres em parceria com outras organizações abriu uma conferência sobre a problemática da gravidez precoce que nos últimos anos aumentou significativamente.  A UNICEF apoio o Ministro da Juventude no sentido de desencadear uma campanha que visa diminuir este problema social.

Segundo a Organização Mundial de Saúde(OMS), alguns especialistas afirmam que, quando a escola promove explicações e acções de formação sobre educação sexual, há uma baixa probabilidade de gravidez precoce e um pequeno índice de doenças sexualmente transmissível. Assim, a Organização Mundial de Saúde patrocina programas de prevenção e tratamento de doenças.

Essa organização recomenda métodos contraceptivos que podem evitar uma gravidez indesejada que são; os preservativos, a pílula, entre outros.

O preservativo é o método recomendado para adolescentes, porque evita uma gravidez não desejada, assim como evita contrair uma infecção sexualmente transmissível, incluindo o HIV/SIDA.

Entretanto, se durante a relação sexual, preservativo romper-se, procure rapidamente um técnico de saúde reprodutivo ou ainda uma auxiliar do Centro de Escuta e Aconselhamento que te aconselha a usar contracepção de emergência (pílula) se for o caso.

A pílula de emergência evita uma gravidez após relações sexuais não protegida. Esta pílula só pode ser utilizada em situações de emergência e só deve ser usada pela mulher 72 horas depois de uma relação sexual não protegida, depois do incorrecto uso ou falha acidental no uso de algum método e ainda após violação sexual.

Logo, a gravidez precoce em São Tomé, precisa ser evitada e conta com apoio de algumas instituições, organizações, apoio dos pais e utilização de métodos contraceptivos pelos adolescentes e jovens.

Assim sendo a melhor maneira de prevenir uma gravidez precoce é abstinência ou seja, não ter relação sexual para evitar o arrependimento, crianças sem família e sem futuro.

Os jovens devem estudar para garantir o seu futuro, quanto não, será tarde demais para utilizar o termo da palavra se eu soubesse.