Depois de Vários Discussões na Assembleia Nacional Foi Aprovado o Orçamento Geral do Estado Para 2020

Foi aprovado com 30 votos o Orçamento Geral do Estado para 2020 avaliado em 150 milhões de dólares, porém o maior partido da oposição a ADI, absteve-se. O Orçamento prevê execução da transição energética, em que os geradores a gasóleo deverão deixar de ser a única fonte de Produção energética no país.

Depois de Muitas Discussão na Assembleia Nacional Foi Aprovado o Orçamento Geral do Estado Para 2020
Tempo de Leituta: 2 minutos

A proposta do orçamento Geral do Estado foi analisada na generalidade pelos deputados na passada quinta feira e avaliado em 150 milhões de dólares.

O Primeiro Ministro, Jorge Bom Jesus, esclareceu que o Estado São-Tomense só consegue assegurar 3% da verba para o investimento público.

Em que os 97% das verbas deverá ser garantida pela comunidade internacional. Esta dependência em relação a ajuda internacional teve consequências negativas na execução do Orçamento Geral do Estado anterior.

O Orçamento Geral do Estado de 2020 prioriza o sector das Obras Públicas e Infra-estruturas.

Contudo este sector vai absorver mais de 32% da verba inscrita no capitulo do investimento público. A educação receberá 13%, a saúde ficará com 12% e agricultura com 10%.

O exercício parlamentar prossegui-se nesta sexta-feira e foi alvo de votação por parte dos 55 deputados que compõem a assembleia nacional.

Aprovação do Orçamento Geral do Estado para 2020

Bem como, em 2020 através de projectos estruturantes foram lançamos as bases de um desenvolvimento durável e sustentado argumentou o Primeiro Ministro, Jorge Bom Jesus.

Porém, na sexta-feira, o orçamento avaliado em 150 milhões de dólares foi aprovado com 30 votos, e o maior partido da oposição a ADI, absteve-se.

Do mesmo modo, Celmira Fernandes, deputada e porta-voz da bancada de ADI, anunciou que “vamos votar em abstenção, porque todos os projectos deste orçamento com financiamentos garantidos são todos engajados do governo de ADI” declarou a porta-voz.

No entanto, mesmo sendo projecto do antigo governo os deputados do mesmo partido decidiram não apoiar a execução dos tais projectos.

O Orçamento do Estado, para 2020 prevê execução da transição energética, em que os geradores a gasóleo deverão deixar de ser a única fonte de de produção energética no país.

Contudo o Primeiro Ministro avisou aos demais deputados que São Tomé e Príncipe já não tem acesso a gasóleo fiado do Governo angolano para alimentar os grupos de geradores que produzem a energia para o país, agora vamos trabalhar com o que temos e sozinhos.

Com isso, o Primeiro Ministro deixou claro que não haverá mais ajuda por parte de Angola em ter acesso a combustível grátis para abastecer o país.