Cerimónia do Acordo de Argel Presidido Pelo Presidente da Republica São-Tomense Evaristo Carvalho

Decorreu na Assembleia Nacional a cerimónia do acordo de Argel que em 1974 abriu portas para a independência de São Tomé e Príncipe, em que foi presidida pelo Presidente da Republica, Evaristo Carvalho.

Cerimónia do Acordo de Argel Presidido Pelo Presidente da Republica São-Tomense Evaristo Carvalho
Tempo de Leituta: 2 minutos

No dia 23 à 26 do mês de Novembro de 1974 reuniram-se em Argel cidade de Argélia, as delegação do Governo Português e do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe.

Ao passo que, a reunião teve como objectivo a fixação, por acordo, do esquema e do calendário do processo de descolonização do Território São-Tomense.

Em que a delegação portuguesa estava constituído pelo Ministro da Coordenação Interterritorial, Dr. Almeida Santos, o Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, Dr. Jorge Campinos e entre outros.

Bem como, a delegação do Movimento de Libertação de S. Tomé e Príncipe estava constituído pelo Dr. Miguel Trovoada, membro do Bureau Político e do Secretário Executivo e Encarregado das Relações Exteriores do MLSTP, pelo engenheiro José Fret, encarregado da Propaganda e Informações do MLSTP, Dr. Gastão Torres e Pedro Umbelina membros do Bureau Político do MLSTP.

Juntamente, as conversações decorreram num ambiente de franca cordialidade, sob bons auspícios do Governo Argelino, em que as delegações chegaram ao seguintes pontos:

  1. Então, o Governo português reafirmou o direito do povo de STP à autodeterminação e independência, com as resoluções pertinente da ONU.
  2. Reconheceu também o Movimento de Libertação de STP como interlocutor, único e legítimo representante do povo.
  3. O Primeiro-Ministro teria, em caso de empate na votação em conselho, o voto de qualidade.
  4. O presente acordo dependeu, na sua validade formal, da homologação do Presidente da Republica Portuguesa e do Secretário-Geral do Movimento de Libertação de STP. 

 

Contudo, foram acordado 17 pontos em que de antemão foram focados em três dos 17 pontos para ser demonstrado cá para uma melhor compreensão.

Decerto que este acordo veio como uma chance para que o país conseguisse alcançar a independência que tanto desejava, e partindo daí em 12 de Julho de 1975 São Tomé e Príncipe tornou-se independente.

Cerimónia do Acordo de Argel que abriu caminho para a Independência de São Tomé e Príncipe

Similarmente, no dia 26 de Novembro de 2019, o Presidente São-Tomense, Evaristo Carvalho, presidiu uma cerimónia do acordo de Argel que abriu caminho para Independência do pequeno país.

O acto foi organizado pelo presidente da Assembleia, Dr.Delfim Neves, e marcada por entrega formal pelo embaixador de portugal, Dr. Luís Gaspar uma cópia do acordo de Argel homologada pela Biblioteca Diplomática do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal ao chefe de Estado de STP.

Assim sendo, estiveram presentes o Primeiro-Ministro Jorge Bom Jesus, a delegada da ONU em São Tomé e Príncipe, Zaihra Virane, membros do Governo assim como das autarquias locais e os ex-presidentes Fradique Menezes e Miguel Trovoada, que relataram na cerimónia alguns episódios que marcaram as negociações do acordo citado.

Como resultado, uma das salas da Assembleia Nacional, teve vários seguimentos da população, em que o destaque foi para os jovens de 10ª à 12ª classe de diversos Liceus do país.

Desta forma, marcaram a presença na cerimónia, vários diplomatas estrangeiros e diferentes quadros de Administração Pública de São Tomé e Príncipe.