30 de Setembro dia da Nacionalização das Roças Comemorado em São Tomé e Príncipe

Na passada segunda feira foi comemorado mais um 30 de Setembro uma data importante para o país pois foi nessa data em que houve a nacionalização das roças.

30 de Setembro dia da nacionalização das Roças
Tempo de Leituta: 4 minutos

Após a independência, o primeiro presidente do país, Manuel Pinto da Costa e o primeiro Ministro, Miguel Trovoada anunciaram num comício a nacionalização das roças no dia 30 de Setembro de 1975.

Contudo, eles acreditaram que com os seus braços as roças poderiam gerar riquezas para o país, mas anos depois houve a degradação da mesma por falta de acompanhamento por parte do Estado.
Desde então em São Tomé e Príncipe é comemorado o dia da nacionalização das roças.

Entretanto na passada segunda feira foi comemorado mais um 30 de Setembro em São Tomé e Príncipe alusivo ao dia da nacionalização da roças. Onde os feirantes tiveram mais uma oportunidade de demonstrarem e venderem os seus produtos.

Conseguinte, este ano o evento foi realizado na rua Patrice Lumumba, onde contou com a presença de algumas figuras importantes da nossa praça como:

  • Senhor Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus,
  • Ex. presidente da câmara distrital de Água Grande Ekineyde dos Santos.
30 de Setembro dia da nacionalização das Roças
Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus

Também contou com a presença de vários grupos como:

  • pequenos agricultores,
  • artesão,
  • empreendedores,
  • bandas
  • vendedores
  •  um grande número de população.
  • Entre outros

 

Organic Markets for Development (Mercados Orgânicos para o Desenvolvimento)

É um projecto financiado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Holanda que tem uma duração de 4 anos e que está a ser implementado em 4 países como Gana, Burkina Faso, Congo e São Tomé e Príncipe.

Este mesmo projecto tem como objectivo dinamizar o sector orgânico a nível nacional e esta ligado a um novo método de fertilização chamado SPG (sistema participativo de garantia) em que vem um agricultor estrangeiro fazer uma vistoria ao nível das parcelas de terra que estão concebido a cada agricultor e com base em vários estudos certifica alguns produtos.

30 de Setembro dia da nacionalização das roças
Organic Markets for Development

No entanto, o projecto também possui um outro componente que é a promoção da política pública que estimula mais a produção biológica, e já foi implementado em 6 comunidades que está mais ligado à horticultura como a comunidade de Amparo, Pinheira, Santa Luzia, Água Sampaio e Santa Clara.

De acordo com Vaciley Neves, que é o comunicador do projecto diz que “os agricultores têm participado com muito entusiasmo e estão muito satisfeitos com o projecto, e após o término dos 4 anos do projecto haverá continuidade e estão muito satisfeitos com a feira alusiva ao dia 30 de Setembro dia da nacionalização das roças” .

Fluta Non

É um grupo de empreendedores que estão situados em Neves e realizam diversas actividades como transformação de produtos, como farinha de banana pão, banana prata, fruta pão e também produtos secos como a jaca seca, mamão seco  entre outros produtos.

30 de Setembro dia da nacionalização das Roças
Produtos da Fluta Non

Esta fábrica está em Neves e já funciona a quase 2 anos, a dificuldade maior da fábrica é a morosidade na saída dos produtos e isso vem dificultando muito a actividade de execução dos trabalhadores.

Sumo de Cana

Sumo de cana nacional é um sumo tipicamente nacional, sem corantes e que é feito com gengibre, hortelã e limão.

De acordo com Jonas dos Ramos responsável pelo rolote o sumo é recomendado para pessoas que querem algo sem corante e sem gás, estão situados na praça da Uccla.

30 de Setembro dia da nacionalização das Roças
Produção do Suco de Cana

O sumo de cana é completamente nacional, tem um paladar agradável e recomenda para a população para fazer uso do sumo, pois é algo nacional acrescentou um dos presentes Leopoldo João .

No decorrer da feira o Primeiro Ministro, também discursou um pouco sobre o dia 30 de Setembro como um dia importante para o povo.

A feira está óptima e inovadora, no espírito de 30 de Setembro dia da nacionalização das roças pois é um dia muito importante, e hoje o que São Tomé precisa é de independência economia e soberania alimentar e esta feira vem como finalidade articular a parte produtiva, a parte da transformação dos produtos e parte das comercialização e produtores estiveram satisfeitos e que essa iniciativa não irá parar por aqui, segundo o Primeiro Ministro Jorge Bom Jesus.

No entanto, o primeiro ministro acrescentou e disse que a nossa exportação está muito baixa e é nesta perspectiva a implementar a reforma agrária como forma de beneficiar outras culturas como a pimenta a baunilha que são de valor acrescentado para ver se São Tomé pode sair.